Por que devemos consultar as fontes dos dados que lemos?


Hoje, li na revista Exame a seguinte matéria: http://exame.abril.com.br/revista-exame/considerada-como-exemplo-por-anos-cemig-tenta-se-reerguer/. A matéria é muito boa, pois mostra alguns aspectos da Cemig, empresa do setor de energia elétrica do estado de Minas Gerais.

O problema começa quando as pessoas começam a colocar dados sem mostrar fontes. Tem que tomar muito cuidado ao ler e aceitar esses dados. Um dos dados que foram colocados na matéria pela autora do texto foi que a Cemig distribuiu 25,6 bilhões em dividendos entre os anos de 2006 e 2015, sendo que, neste mesmo período, seu lucro líquido total foi de 26 bilhões, o que significa que a empresa deixou de distribuir 400 milhões de reais do seu lucro líquido.

Como eu já tinha feito uma análise financeira da Cemig desde 2010 até 2015, eu sabia que esse dado estava incorreto, pelo menos de acordo com os relatórios da Cemig. De acordo com o relatório mostrado no link http://relatorio2014.cemig.com.br/#/1, percebemos que a Cemig deixou de distribuir em torno de 5,4 bilhões de parte do seu lucro líquido entre os anos de 2010 e 2014 (são 15,1 bilhões de lucro líquido, sendo 9,7 bilhões), ou seja, só entre 2010 e 2014, a Cemig já deixou de distribuir mais do que o exposto na matéria da Exame. Se considerarmos os outros anos não analisados (entre 2006 e 2009, e 2015), esse valor é ainda maior.

O que fica de lição é: se você quer investir, procure sempre os dados que lhe são apresentados. Outro dia mesmo, vi um gestor de um fundo de investimento conhecido apresentando dados divergentes do relatório Focus do Banco Central, mas isso já foge ao escopo desta postagem.

De qualquer forma, fiquem atentos!

Obrigado pela visita!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os CDB's do Banco do Brasil

O banco Intermedium, seu LCI e CDB.

LCI do banco Intermedium - atualizado para dezembro 2016